Mordomia

Mordomia

“Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos?”

(1 Coríntios 6:19)


Tenho certeza de que esta palavra não lhe é estranha, mas talvez você nunca tenha parado para pensar em toda a sua abrangência no reino de Deus. Segundo o dicionário Aurélio, mordomia é cargo ou ofício de mordomo e mordomo, como nós sabemos, é alguém que cuida dos bens de outro, não os dele próprio. Só que quando a gente pensa em mordomia dentro do reino de Deus, normalmente nos referimos à administração do dinheiro, (o da igreja, não o nosso), ao cuidado com as ovelhas do Bom Pastor e até mesmo ao nosso tempo de devocional. Um aspecto muito esquecido é o cuidado com o nosso corpo, que é o templo do Espírito Santo.. Mas, como poderíamos ter uma visão mais apropriada a esse respeito? 


Em primeiro lugar somos ensinados pela Bíblia que devemos cuidar do nosso corpo e amá-lo. Se você quiser ler uma passagem que fale sobre isso, procure na carta de Paulo aos efésios, capítulo 5:28 e 29. Ali Paulo é claro em afirmar que amamos, alimentamos e cuidamos de nossos corpos. Se o Espírito Santo realmente vive dentro de nós, no que cremos piamente, então devemos cuidar deste templo com a mesma reverência e o mesmo respeito com os quais o povo de Israel cuidava do templo que o Senhor lhes concedeu construir no reinado de Salomão. 


Porém, a que tipo de cuidado estamos nos referindo? Infelizmente, nas nossas igrejas, a tendência tem sido resumir o cuidado com o corpo ao não possuir determinados vícios como o fumo ou o álcool. Ou ainda, não utilizar esta ou aquela vestimenta. Certamente algumas destas práticas nos são prejudiciais, mas a mordomia do corpo não pode ser reduzida a isso. Precisamos pensar no corpo como carne, em termos de saúde mesmo. Como está nossa saúde física? Cuidar do templo do Espírito Santo é também se preocupar com sua alimentação. Precisamos nos informar apropriadamente sobre os alimentos que devemos e que não devemos consumir. Necessitamos verificar nosso peso a fim de que não tenhamos impedimento de servir ao Criador devido a doenças completamente evitáveis.


O livro de Provérbios nos orienta a 'meter a faca na garganta" para evitar a gula,(Provérbios 23:2). Mas também não podemos descuidar fazendo dietas absurdas altamente prejudiciais. Tanto a obesidade quanto a anorexia causadas por maus hábitos alimentares são testemunhos óbvios de que, nesta área de nossa vida, não estamos produzindo o fruto do domínio próprio de que nos fala Gálatas 5:22 e 23. A disciplina com o que se come ou não se come, também é fruto do Espírito. Esse problema (falta de disciplina), põe em risco a saúde de muitos cristãos, podendo até levar à morte. 


A saúde está no equilíbrio, no meio termo: devemos cuidar de nossos corpos de forma sensata, encorajando uns dos outros quanto ao cuidado com o corpo, sem culpa ou julgamentos. Visitas periódicas ao médico também fazem parte do seu serviço ao Pai, cuidando do seu corpo. Ao cuidar do nosso corpo, também precisamos prestar atenção ao exercício físico. O carro tem nos ajudado a encurtar distâncias, mas, por outro lado, roubou-nos a oportunidade de caminhar e se exercitar. Devemos encontrar tempo e formas de exercício necessário ao nosso bem-estar. Também o pastor deve ter tempo e permissão para cuidar do seu corpo sem culpa nem censura. Muitas pessoas acham que se o pastor sai para fazer alguma atividade física em vez de ir fazer uma visita, por exemplo, ele não está cumprindo com o seu dever pastoral. Este tipo de atitude deve ser repensada à luz da Bíblia, porque o pastor também tem um corpo que deve ser cuidado. Além de não recrimina-lo devemos encoraja-lo a que se cuide para que sua igreja possa desfrutar do seu ministério durante muitos anos, com saúde e qualidade de vida.


Resumindo: é preciso encarar nossos corpos também como ofertas que colocamos todo dia no altar do Altíssimo. Vamos ofertar o melhor!


Com carinho, Viviany Viguier.