Qual é a necessidade do seu coração?

Qual é a necessidade do seu coração?

“Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida.”

(Provérbios 4:23).


Qual é a maior necessidade do meu coração? Quais os sinais que ele pode dar ao estar sendo guardado por uma conversão genuína? Nós cristãos tendemos a tornar nosso caminho para a santidade mais complexo, e mesmo assim mais superficial do que ele realmente é. Os gurus da "santificação" multiplicam-se. Oferecem planos bem detalhados sobre como ser feliz, ganhar dinheiro, evitar inveja, não ficar doente ou mesmo como estar sempre "na moda" em matéria cristã. Comparados com os princípios de conversão apresentados nas Escrituras, a maior parte dos chamados programas "cristãos" são desnecessariamente complexos ou abusivamente simplórios, e algumas vezes totalmente irrealistas. Longe de serem distintamente cristās, algumas das metodologias ensinadas são de fato extra bíblicas e deveriam ser ignoradas.


Existe, no entanto, uma enorme armadilha que frequentemente é negligenciada pelos cristãos. É um ensino tão básico, tão claramente exposto nas Escrituras, que nenhum cristão deveria ser pego desprevenido sobre ele. A pesar disso é surpreendente a pequena atenção dada a tal doutrina nos púlpitos e corredores de nossas igrejas. Estou falando do ensino bíblico que enfatiza a inclinação inata do ser humano para o mal. Todo homem vem ao mundo com uma capacidade insaciável para o pecado. Mesmo antes de nascer o coração humano já está programado para a maldade e o egoísmo. A cruel atração humana por todo tipo de depravação é tamanha que deixado a total liberdade, todo homem tem potencial por transformar-se em um monstro. E isso inclui nossos roliços bebês! A categorio teológica que explica esta doutrina é chamada de deprovação total. 


Isto quer dizer que não nascemos inclinados o buscar o Deus e à Sua justiço, nem mesmo viemos ao mundo dotados de uma inocência neutra. Nascemos, isto sim, sedentos pela realização de nossos desejos pecaminosos e egoístas. Preste atenção: nascemos. Este não é um comportamento aprendido. Os filhos o recebem de seus pais, que receberam de seus pais, que por sua vez o receberam de seus próprios pais e assim por diante. A Bíblia diz em Gn. 5:3 que Adão gerou filhos à sua semelhança, a herança pecaminosa é passada de geração a geração desde Adão. Neste contexto voltamos à questão inicial: qual a maior necessidade do meu coração? 


Visto que somos naturalmente apaixonados pelo pecado e por nos próprios, o que nosso coração mais precisa é de um novo e verdadeiro amor. Precisamos nos apaixonar por Jesus, precisamos de conversão genuína. Para isso não nos é necessário um rígido controle de comportamento, nem o investimento em nossa autoestima. Precisamos isto sim de regeneração. Há apenas um remédio para nossa depravação inata: o novo nascimento. Nossa tarefa prioritária é sermos evangelistas em causa própria. Devemos nos aprofundar na Palavra de Deus, meditar nas Escrituras, tatuar a Verdade em nosso coração e alma.


Precisamos vivenciar a graça divina, reconhecer nossa necessidade de um Salvador e aceitar Jesus como o único que pode nos salvar. E quais são os sinais que uma conversão real apresenta? Amor ao Senhor acima de todos e todas as outras coisas, em primeiro lugar. Amar ao Senhor inclui amar ao Seu corpo. Sonde seu coração em relação aos seus irmãos na fé. Não pode haver em você rancor, desprezo, mágoa, indiferença em relação a nenhuma parte do corpo de Cristo. Em segundo lugar deve haver uma enorme disposição de matar seu próprio ego. No altar do seu coração só há lugar para um senhor. Isto quer dizer que a vontade de Deus deve prevalecer e não a sua. E em terceiro lugar você precisa amar o reino, o que vai desde contribuir fisicamente ou financeiramente pela sua igreja, até a evangelização para a expansão do reino, sem desmerecer a intercessão e seu crescimento pessoal. Para terminar gostaria de dizer que a santidade é um processo. Caminhamos momento a momento, buscando melhorar. Se por algum motivo tropeçarmos, levantemos e prossigamos no Caminho. E que o Senhor nos acompanhe!


Em Jesus,

Viviany Viguier.